Quão vale o testemunho?


 

 “Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, exalto e glorifico ao rei dos céus, porque todas as suas obras são verdadeiras, e os seus caminhos, justos, e pode humilhar aos que andam na soberba.”(Daniel 4: 37).

Se observarmos a cronologia bíblica de Daniel, vemos que: estima-se que 9 anos separam os acontecimentos narrados em Daniel 2 e 3. Mais uma vez Nabucodonosor reconhece a soberania de Deus ao ver o livramento dos jovens, porém, passam mais 26 anos desde o episódio da fornalha, e o rei é atingido por uma loucura, a qual o faz pensar que fosse um animal.


O Capítulo 4 de Daniel é um exemplo de responsabilidade que pessoas públicas têm com Deus. A Bíblia é clara em dizer que as autoridades são constituídas por Deus, ou seja, ninguém chega ao poder, se Deus não permitir. Mesmo sendo um grande privilégio, é uma sagrada responsabilidade. Tudo que nós fazemos nessa terra fica registrado e um dia nós daremos conta do bem ou do mal que fizemos. 

Portanto, toda honra e glória deve ser entregue a Deus porque o mesmo te dá forças e oportunidades.

Lembre-se do conselho de Daniel a Nabucodonosor, abandone seus pecados, pratique a justiça, atenda aos pobres.

A Bíblia nos dá a entender que, ao terminar a sua história terrestre, que esse rei teria morrido como um servo de Deus, ou seja, esse rei faz parte do grupo que um dia irá ressuscitar para receber a vida eterna. Incrível como Deus usou o jovem Daniel para ir a Babilônia e mudar a vida desse grande monarca.

A história de Nabucodonosor fala do poder do bom exemplo de um jovem. Durou aproximadamente 35 anos desde o primeiro contato com o Deus do céu apresentado por Daniel até a sua conversão. Ambos foram bons amigos e a boa influência de Daniel foi decisiva para a conversão do rei. 


Deus usa essa mesma estratégia hoje. Ele usa servos fiéis e os coloca em vários locais, para que entrem em contato com pessoas que carecem do testemunho do Deus verdadeiro.

Deus as usa e isso motiva as pessoas a tomar uma decisão ao lado da verdade. 


Deus tem um plano para cada um de nós: 


“ Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que razão morrereis, ó casa de Israel?”  (Ezequiel 33:11) 


Aprendemos mais uma lição aqui: todo plano que Deus tinha para Nabucodonosor, ao colocar Daniel próximo dele, era um plano de salvação. Hoje Ele faz o mesmo com todos nós. Deus está nos influenciando constantemente para que tomemos a decisão de aceitá-lo. 

Podemos comparar a vida que temos nessa terra a um vestibular. Aqueles que forem aprovados, receberão a vida eterna - essa é a recompensa. Os que forem reprovados serão destruídos. Para todo ser humano só existem dois caminhos: o caminho da obediência, que leva a vida eterna ou o caminho da desobediência, que leva a destruição eterna. 


Lembre-se: “A obediência é uma expressão de amor!” 

Quando estudamos a palavra e praticamos as coisas que Ele nos ensina, não é um caminho para a salvação, porque não somos salvos pelas obras. Somos salvos pela graça, mas a nossa obediência é uma evidência de que fomos salvos, pois obedecemos por gratidão.


Mas e você? 

Tem sido a influência positiva na vida de alguém como Daniel foi na vida do rei, levando a sua conversão? 

Será que você fará parte de um plano de salvação na vida de alguém? Será que esta pronto para testemunhar através dos seus atos de obediência? 

Reflita. Deus tem um plano para sua vida. Cumpra a sua missão!

Postar um comentário

0 Comentários